Compartilhe:
Gestão e Finanças

É possível abrir uma empresa sem dinheiro?

Especialista responde essa pergunta e dá dicas para futuros empreendedores


Essa pergunta é a dúvida de muitas pessoas que têm o sonho de empreender. Para respondê-la, ouvimos o economista e consultor do Sebrae/SC, Alexandre Vecchietti. Confira abaixo sua explicação sobre o tema e fique de olho no Blog PME que em breve teremos mais posts para ajudar você na abertura e gestão da sua empresa!

Existem várias histórias de grandes negócios que começaram sem capital, mas a verdade é que não! Conseguir abrir um negócio sem ter custos já foi uma grande oportunidade conquistada com o apoio do SEBRAE, por meio da lei que formalizou o Microempreendedor Individual (MEI). Porém, sempre existirão despesas e investimentos que precisarão ser pagos enquanto as vendas não forem suficientes.

Vamos adotar o exemplo de um jovem programador que presta serviços de análise de dados e quer formalizar sua atividade. O empreendedor pode morar com seus pais, usar para fazer os seus trabalhos o computador pessoal que ganhou de presente da mãe, usar a sua mesada para pagar a passagem de ônibus para ir atender seus clientes e assim pensar que não existem custos neste negócio.

A única questão é que alguém o está financiando! Seus pais pagam o seu custo de vida como moradia e alimentação, investiram no computador, antecipam os valores de transporte e no final, o jovem programador recebe os valores da sua prestação de serviço e acredita que não teve custos. E se os pais não tivessem recursos financeiros disponíveis? Alguém teria que pagar essa conta.

Uma regra a adotar é que quanto mais complexa for a atividade empresarial (pessoal, marketing, logística), mais recursos de capital ela exigirá, por isso é vital que no planejamento sejam previstos não só os investimentos, mas também as despesas mensais de operação, como aluguel, contabilidade, mensalidade de softwares e associações, transporte, entre outros, além de principalmente o custo de vida do empreendedor.

Em alguns casos o investimento pode não acarretar desembolsos financeiros, já que pode ser herdado de outro negócio ou dado pela própria família. Porém, como descrito acima, capital para giro sempre será necessário por menor ou mais simples que seja a operação.

Podemos encontrar facilmente na internet várias e novas técnicas de modelagem e análise de negócios, como CANVAS, PITCH, entre outras. Mas em termos de dimensionamento financeiro e credibilidade, como determinação de investimentos e projeção de despesas, nada substitui o Plano de Negócios como ferramenta para tomar a melhor decisão!

Fonte: Sebrae

Leia também: Quer ter um e-commerce? Planeje-se!

Seja o primeiro a comentar
Compartilhe:

SOLICITE UMA CONSULTORIA GRATUITA

Marketing Digital para Pequenas e Médias empresas

Deixe um comentário

Assine nossa Newsletter

Receba por e-mail nossas novidades e publicações.